sexta-feira, 15 de maio de 2015

165 - P'ra lá do Marão e a Cabra Serrana

2015.05.13
Foi uma das Operações mais complexas e bem sucedidas da História do Bando.
Embora realizada em dia de Assembleia Geral Ordinária, ficou definido à nascença que não haveria acta, porque o Aborto Ortográfico assim definiu. Então tentemos desatar a coisa da melhor forma sem ferir susceptibilidades aos doutores do tal acordo.
Os galhardetes foram compostos, idealizados e transportados pelo camarada Mestre Gil. O slogan, contrariando e muito bem a vontade do Presidente Teixeira, foi uma feliz originalidade do Secretário General. E mai'nada, prontos.
A "caminhada"  como gostam de dizer alguns Bandalhos foi prevista para cerca de 115 quilómetros iniciando-se no local habitual da garagem da Rodonorte, onde costumamos esperar o Súcio. Só que desta vez foi ao contrário.
Em alta velocidade para surpreender o inimigo, lá vamos nós Cantando e Rindo, como diz o Presidente.
Até dói olhar a paisagem e não poder parar um pouquinho que fosse.
O Marão está esplendoroso. Para bem de todos, oxalá não o queimem.
A "caminhada" durou 1,30 h e lá estava o Súcio para nos receber mais os camaradas transmontanos, já velhos conhecidos do Bando. O Zé de Lamego que nos desculpe incluí-lo no grupo.
Abraços e beijinhos à chegada e logo retomamos a "caminhada" para a Campeã, atravessando Vila Real. Motivo para um poemaço que esperamos apareça em comentário, do camarada Fozense Tavares.
É o destino...
Chegados lá é feito o reconhecimento do local.
O  inimigo já estava a ser tratado com a ajuda de altas tecnologias. 
O Fernando foi o responsável da captura e cuida bem dele. Por sinal era uma inimiga, mas prontos.
O Cancela aproveita para fazer uma de relax na companhia do Mano Velho Carvalho, o Zé Catió testa a sua "chenesa"  enquanto aos apreciadores de loirinhas foram-lhes confiados os frigoríficos.
Um exagero, como diria o outro. O Afurada Xico Silva encheu-se de brios e foi à Noruega num instante pescar umas enguias de escabeche. Ao atravessar o Cabedelo apanhou umas petingas. Segundo os glutões destas coisas, estavam um espanto.
Ora pois, como bom transmontano e já vamos estando habituados a eles depois daquela coça em Dornelas, o Súcio "abriu" finalmente o Presunto adquirido por alturas do Natal e já meio podre, o qual foi muito maltratado.
Mas também a punheta de bacalhau não faltou, bem como chouriços e salpicão e azeitonas da Terra, mais um queijinho 5 star's.
O Zé Catió descansa, o Zé de Lamego ajuda o Lino a preparar o presunto para os cortes finais.
Esperando para ver o que vai sair, o Mano Novo Carvalho, o Lobo Huuuuu e os compadres de Penafiel, Cancela e Peixoto. Nos entretantos, o Presidente e o Xico Silva passeiam os copos.
As leituras são postas em dia, e parece que o Lino e o Freire chegaram à conclusão que se conheciam há mais de 40 anos. Foi em Moçambique, segundo o relator apurou. E na Campeã o reencontro. 
As mesas vão ter de esperar pela ocupação. O chapéu do Zé de Catió fica bem na fotografia, apoiado na mona do Zé de Lamego. Acompanham-no o Cibrão e o Lino.
A rapaziada pronta para outros ataques.
 Sem dúvidas que as enguias deveriam estar muito boas. A última foi disputadissima e quase dava murro. Mas há muito boa gente que prefere outras coisas. Que o diga o Lino pelo trabalho que teve em desmanchar o presunto.
A última enguia coube ao Mestre Gil.
Como mandam as regras o Súcio fez boa companhia nas loirinhas. Só que esta loirinha é muito pura: sem álcool .
Bom, sempre a trabalhar, o Súcio foi buscar uma relíquia, a qual continha uma pomada que nem vos conto o estouro que deu. Primeiríssima qualidade um tinto caté o Cancela e o Peixoto Bandalho, grandes provadores, elogiaram.
Antes da operação final, uma lembrança do Bando para o Fernando Manuel Dinis Súcio.
O Presidente falou, o Súcio respondeu e os Bandalhos aclamaram.

Acabada a cerimónia, o Súcio foi pegar no "menino" e pô-lo a cantar. Foi feita uma gravação em vídeo deste Cante Transmontano que pode ser ouvida já a seguir. Tá lá no fundo.
E os finalmentes prontos para serem atacados. Estes são os miúdos da bicha.
A bicha cozinhada com uma textura excelente própria para quem usa cremalheiras. O paladar divinal.
Para alargar espaços, estes Bandalhos preferiram uma mesa ao ar livre, junto de uns pinheiros de nova espécie que ficam muito bem na fotografia. Uma selfie para recordar.
Teve de se improvisar uma cadeirinha de bébé para o Tavares chegar à mesa. Ele só queria o biberão tal era a sede...
Poucos acreditam, mas em momento de descanso também se tomam umas águas do Marão.
Uma selfie para recordação
Todos os locais servem para descanso.
 O Carvalho Mano Novo não se importou com a fotografia. Preferiu ler o jornal da tarde.
Para gáudio do Presidente, chegou a sua verdadeira hora: Os Doces e o Vinho que foi Fino com 3 dezenas de anos. Servido com todos os matadores e o cuidado indispensável para não turvar.
De Lamego, o Zé trouxe bôlas de bacalhau e uma espécie de carnes fumadas. Devido à falta de produto foi necessário a cada bocado meter-lhes umas fatias do presunto que ainda ía só em meio de gastos.
E aos brindes "usamos" o excelente espumoso Terras do Demo, que o Zé nunca esquece em qualquer caminhada.

As gentis chefas de cozinha, prepararam a lembrança para levar as assinaturas recordativas do dia e da data. Os fotógrafos matam-se para apanhar o melhor ângulo.

É o momento das assinaturas...

...Para sempre recordar. 

E chegou a hora do regresso

O Campos não passou desapercebido. Esteve sempre muito bem composto e de Rosinha fardado.
O Marão quase em fim de dia está meio turvo.
Já cheira a Porto

Bora aos agradecimentos:
Ao Secretário General  pelo excelente serviço no Bar

 Ao Presidente Teixeira que sem ele não haveria tanta Bandalheira.

Ao Fernando Súcio pela gentileza com que nos recebeu. A sua equipe familiar, a Dona Olívia e a Menina Cecília merecem os maiores encómios não só pela excelente comida que nos preparou mas também pelo que aturaram.

Ao bendito Presunto desencantado já há manga de chuvas e foi agora a sua vez.

À Cabra Serrana que deu o nome de código à Caminhada

Não podem ser esquecidos o Mestre Gil, O Zé Catió, o Zé de Lamego, o Quim Silva, o Silva da Afurada,o Jorge Peixoto - se faltar alguém que me perdoe - pelo trabalho no apoio a esta Bandalheira.
Por ordem Presidencial, vão ser abertas lá para o Natal, as candidaturas oficiais para a Presidência.
Contrariamente a outros Presidentes, o nosso mostra um espírito aberto e acha e muito bem que as Bandalheiras sabem melhor no Verão.
Os candidatos, seguindo a linha da Presidencia, só serão aceites a partir da melhor organização Bandalha. A eleição ós pois bê-se.

As próximas Bandalheiras estão marcadas para os dias 10 de Junho, onde se comemorarão os Dias de Portugal, de Crestuma e do Bando; e em 13 comemorando os Santos Populares nos Melros.

Até lá ...
video



12 comentários:

  1. Grande camaradagem, muito bem escrito com grande humor. Quando vejo os meus email normalmente é antes do jantar, fazes me uma fome do Carago. .....um grande abraço
    Tony

    ResponderEliminar
  2. Camaradas do Bando.Eu como um Bandalho mais novo venho transmitir a todos os Bandalhos de que passei um dia muito especial e agradável.
    Parabéns a todos pela a amizade e carinho.
    Ao nosso Secretario Geral responsável por esta pagina também dou os meus parabéns pela montagem e apresentação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o que é que a gente tem a ver com isso?...

      General piriquito, Secretário General, vê se atinas senão ainda levas com as enguias e és despromovido a mancebo aBandalhado.
      jteix

      Eliminar
  3. Do que eu gostei mais foi do som dos 22 segundos, o resto estava tudo... muito bem relatado e documentado como é costume, à excepção da última foto, mas... gostos, temos que aceitar.
    Um abraço
    cumprim/jteix

    ResponderEliminar
  4. Presidente, é fácil. Vais à foto e deita-a fora. Mas ela foi o símbolo da operação.
    Obrigado por teres emendado o Enguias da Noruega. Nunca mais aprende esse Bandalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Censura, NÃO... repórter castrado, também NÃO.
      jt

      Eliminar
  5. Antes do mais, permitam-me este primeiro comentário.
    Precisamente nesta fase em que se discutem os prémios de Canes, seria muito oportuna a exibição da excelente curta metragem, aqui reproduzida. Desde a sua abordagem ao tema, com a panorâmica em Zapping e o zoom bem focado no catraio, até à sonorização do murmúrio do líquido em cascata, tudo foi magistralmente sincronizado com naturalidade, por forma a provocar um Happy End em verdadeira apoteose espasmosoidal !!! Viva o Autor Jorge Portojo e Viva a Sétima

    ResponderEliminar
  6. Antes do mais, permitam-me este primeiro comentário.
    Precisamente nesta fase em que se discutem os prémios de Canes, seria muito oportuna a exibição da excelente curta metragem, aqui reproduzida. Desde a sua abordagem ao tema, com a panorâmica em Zapping e o zoom bem focado no catraio, até à sonorização do murmúrio do líquido em cascata, tudo foi magistralmente sincronizado com naturalidade, por forma a provocar um Happy End em verdadeira apoteose espasmosoidal !!! Viva o Autor Jorge Portojo e Viva a Sétima Arte!!! José Ferreira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não era preciso repetires, a gente ouvisto, bem.
      jt

      Eliminar
  7. O segundo comentário visa o meu reconhecimento ao mérito dos seguintes elementos:
    1 - Ao Bandalho Homenageado, Dgmo. Transmontano Fernando Súcio que, graças a um comportamento de humildade exemplar, nos tem privilegiado com a sua dedicada amizade e consideração. Ele é mesmo um Grande Bandalho!
    2 - Ao nosso incansável Secretário General que vem suplantando o seu desempenho de executivo e ainda nos brinda para a memória futura com a sua famosa marca artística.
    3 - Ao Jorge Peixoto que tem sido um verdadeiro rato de Secretaria, tipo Sargento Chição, salvaguardado sempre os verdadeiros interesses do Bando e dos Bandalhos em particular.
    4 - Ao Jotex, Presidente Vitalício Sem Contestação (será?) que, graças a uma sábia gestão de conflitos e de interesses, tem conseguido resultados positivamente invulgares.
    5 - Aos outros Bandalhos que directa ou indirectamente têm contribuido alegremente para que eu e eles possamos acumular dias felizes que, por certo, nos serão descontados nas contas do Além.
    Obrigado a todos.
    Abraço do ZFerreira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zé Ferreira,
      Fiquei muito sensibilizado com os pontos 1, 2, 3 e 4, mas principalmente com o ponto 5, porque sem eles nada disto tem significado. Obrigado e aceita humildemente uma lágrima no canto do olho!...
      Um abraço
      cumprm/jteix

      Eliminar